Especial Café – Parte II – O Café no Brasil + Como fazer Mazagran

O café chegou no Brasil por Belém do Pará, em 1727, por Francisco de Melo Palheta, que foi enviado a Guiana Francesa com a missão de trazer uma muda ao Brasil. Os portugueses eram proibidos de ceder a planta e Palheta, muito astuto, se aproximou intimamente da esposa do governador de Caiena que, tomada pela paixão, ofereceu ao sargento, clandestinamente, uma pequena muda do café arábica que veio escondida na bagagem do brasileiro.

Da região norte o café foi descendo para o Nordeste até chegar em 1773 ao RJ. Expandiu-se para a Serra do Mar e, em 1825, chegou ao vale do Paraíba, alcançando os estados de SP e MG. O clima e as terras férteis da região transformaram o Brasil no maior produtor  mundial de café no final do século XIX.

O café marcou profundamente a história do Brasil pois foi o responsável por um dos ciclos econômicos brasileiro mais importantes. O café foi fator de desenvolvimento e modernização do Brasil pois para escoar sua produção foram construídas estradas de ferro, abertos novos portos, novos bancos e o comércio se tornou mais ágil. Entre 1840 - 1889 o Brasil passou a ser conhecido como o império do café. As fazendas de café concentraram toda riqueza brasileira durante três quartos de século. A lavoura formou a aristocracia do país e os fazendeiros enriqueceram tanto que passaram a ser conhecidos como os barões do café.

O café brasileiro faz sucesso não só nacionalmente. O Brasil exportou 35 milhões de sacas do produto no último ano (na safra de julho de 2015 a junho de 2016) gerando uma receita de US$ 5,3 bilhões. Os dados são do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), que apontou ainda um crescimentos nas exportações do café arábica.
O café brasileiro foi consumido por 127 países no último ano. Os EUA lideram o ranking de países que mais importam o café produzido por aqui, com mais de sete milhões de sacas compradas de nossos produtores. Em seguida vem a Alemanha, que já é a maior consumidora do café brasileiro lá fora no ano safra de 2016. Itália ocupa o terceiro lugar com 2,9 milhões de sacas compradas. Ainda segundo a Cecafé, o Japão vem aumentando seu consumo do café brasileiro nos últimos anos e importou mais de um milhão de sacas no último ano. O ramo cafeeiro gera uma média de 7 milhões de empregos diretos e indiretos no país.

O ano de 2016 foi um ano de "safra cheia", como dizem os produtores. Isso se dá porque a cultura do café é bienal: um ano produz bem, no seguinte descansa. A expectativa é de que no ciclo que vai de julho de 2016 a junho de 2017 o Brasil produza acima de 53 milhões de sacas.
O Brasil é o maior produtor de café do mundo e no último ano produziu 49 milhões de sacas. Seguido de Vietnã, que produziu 29 milhões de sacas, e da Colômbia, com 13 milhões de sacas.

Como estamos na onda do café gelado (cold brew) que ensinamos a vocês na primeira parte do nosso especial AQUI, hoje vamos de uma receita que tem seus primórdios lá na Argélia e leva o limão siciliano para deixar tudo mais maravilhoso, o Mazagran.

O Mazagran é uma bebida fria, doce e que tem sua origem na Argélia. As versões em português podem usar espresso, limão e rum e versões austríacas são servidas com um cubo de gelo. Às vezes, uma versão rápida é feita derramando um expresso previamente adoçado em um copo com cubos de gelo e uma fatia de limão. 
O nome da bebida provavelmente se originou de uma fortaleza chamada Mazagran na Argélia que, em 1837 através do Tratado de Tafna, foi concedido à França. Na fortaleza de Mazagran, as tropas coloniais francesas consumiram a bebida, que foi preparada com xarope de café e água fria. Diz-se que o nome e a invenção da bebida podem ter se originado de soldados da Legião Estrangeira Francesa que, durante a época do cerco de Mazagran, durante a guerra de 1840, usaram água em seu café na ausência de leite ou conhaque e beberam a bebida fria para aliviar o calor. Além disso, nas tropas francesas perto de Mazagran foram servidas algumas bebidas preparadas com xarope de café e água. Quando os soldados retornaram a Paris, sugeriram aos cafés para servir a bebida então inventada em vidros altos. Após esta introdução, a bebida foi denominada café mazagran. Na França, o café servido em copos é referido como "mazagrin".

Nossa versão do Mazagran, além dos ingredientes clássicos, leva o açúcar demerara baunilhado ao invés do refinado e o limão é siciliano. Mas nada impede de você fazer suas variações como trocar o limão pelo rosa, usar outro tipo de "adoçante" e mesmo utilizar a laranja como cítrico.

MAZAGRAN

cafe

Ingredientes:
(para uma dose)

- 2 doses de café espresso (50ml)
- 1 colher de sopa de sumo de limão siciliano
- 1 colher de chá de rum
- 1 colher de sopa de açúcar demerara baunilhado*
- Cubos de gelo
- Algumas fatias finas do limão siciliano par decorar

Faz assim: *açúcar demerara baunilhado: Nada mais é do que o açúcar que você deixa em contato durante um certo tempo com as favas da baunilha abertas. Você pode fazer com qualquer tipo de açúcar. Coloque num pote de vidro o açúcar desejado (no caso aqui o demerara) e coloque favas de baunilha abertas que você tenha usado para outra receita (nunca jogue as favas fora, elas tem um perfume incrível!). Tampe e deixe quietinho durante algum tempo guardado ao abrigo da luz. Um mês você já obtem um açúcar de perfume incrível. E dai você pode usar para qualquer receita!! Voltemos ao Mazagran!
Use um copo de vidro médio. Encha de cubos de gelo. Coloque por cima dos gelos o sumo de limão e o rum. Faça seu espresso como de costume, adoce com o açúcar e derrame sobre o gelo. Enfeite como quiser com as fatias de limão. Sirva imediatamente!

Ainda não existem comentários.

Comentários